Conheça as configurações e exigências para entender melhor sobre a nova portaria 315 do Mec

Lançada em 2018, a portaria 315 do Ministério da Educação foi modificada e repostada em 2020 no diário oficial. A nova mudança foi feita para prorrogar o prazo de digitalização de documentos por parte das Instituições de Ensino Superior, oferecendo mais tempo hábil para adaptação por parte das empresas de ensino.

O novo prazo vence em 4 de abril de 2022, sendo assim, as instituições têm até esta data para ficar dentro dos conformes legais exigidos pelo MEC para digitalização de documentos.

Quais são as exigências feitas pelo MEC?

Na portaria 315, o ministério exige algumas condições das instituições para administrar este acervo digital, confira algumas:

  • Possuir um plantel de tecnologia que suporte e garanta a preservação dos documentos;
  • Fiscalizar a base de dados para preservar e não perder documentos;
  • Fazer o upload de documentos que permitam a busca e recuperação dos docs digitalizados;
  • Obter o certificado digital para garantir legalidade jurídica na armazenagem;
  • Disponibilizar para os alunos os documentos cadastrais e os documentos administrativos da empresa;
  • Implementação de um comitê gestor para garantir uma boa administração dos acervos digitais e deixar em dia as regulamentações exigidas;

Itafi: readequação e ensinamento

O Itafi é uma instituição focada na educação e oferece cursos com certificados para os mais variados públicos, inclusive para as Instituições de Ensino Superior.

Formada por profissionais da educação de alto nível, o Itafi oferece cursos especializados para as instituições superiores como o curso teórico e prático sobre secretaria acadêmica. Com intuito de informar as Instituições de Ensino Superior sobre ações de adaptação, o curso oferece ideais e propostas para que as instituições saibam lidar com as exigências do governo a respeito da legalidade dos acervos digitais. Saiba mais sobre o curso clicando aqui.

Saiba o que é um diploma digital, quem precisa disponibilizar e onde se estruturar para isso

Para que uma Instituição de Ensino Superior (IES) possa ter um pleno funcionamento no Brasil, existem algumas determinações definidas pelos órgãos legisladores que devem ser seguidas, e o Diploma Digital é uma delas.

Diploma Digital: o que é

O Diploma Digital nada mais é do que o famoso e tradicional diploma em formato digital. Ao final de um curso de ensino superior, ou de um curso técnico, o estudante pode entrar na plataforma da instituição de ensino e solicitar o documento.

Inclusive, na área das instituições de ensino superior existe a obrigatoriedade da disponibilização do diploma digital. Isso por determinação da portaria n°554 do Ministério da Educação, que coloca como dever de todas as instituições de ensino superior proporcionarem aos seus alunos o diploma digital.

Vantagens

Esse novo formato de diploma traz algumas vantagens e pontos positivos, como: mais agilidade e facilidade, afinal, a partir do momento da solicitação na plataforma da instituição, o documento será entregue em até 15 dias para o aluno.

Além da rapidez e desburocratização, o diploma digital pode trazer economia, pois de acordo com pesquisas, a diferença do valor entre o diploma físico e digital pode ser de até 200 reais.

Com isso, o aluno economiza tempo e dinheiro e fica com o diploma digital que tem o mesmo peso do documento em forma física.

Itafi: o caminho para sua instituição ficar em dia

O Itafi oferece diversos cursos para auxiliar e ensinar sobre como se manter em dia com as exigências digitais, como o curso “Secretaria Acadêmica: MEC e Acervo Digital”, que apresenta todos as resoluções do MEC para a constituição do acervo digital. Para conhecer os cursos do Itafi clique aqui

ENTREVISTA A INFORMATION MANAGEMENT SOBRE “SECRETARIA ACADÊMICA: MEC E O ACERVO DIGITAL”

Muitas Instituições de Ensino Superior estão tendo dificuldade para lidar com as exigências do MEC quando o assunto é digitalização do acervo acadêmico. Este foi o tema da entrevista do Prof. José Rubens Salles Toledo para a revista Information Management. Entrevista>>

TV Rede Vida

Uso excessivo do celular pode causar depressão, ansiedade e isolamento. Entrevista concedida para a jornalista Laís Peçanha do Jornal da Rede Vida, alertando o uso da “tecnologia” em excesso  como causa de sérios problemas aos adolescentes.

ASSISTA A ENTREVISTA>>

Entrevista na Radio Bandeirantes – Programa Acontece

Radio Bandeirantes apresenta o Livro que recorre à filosofia para apontar os riscos da tecnologia e linguagem.

OUÇA A ENTREVISTA>>

Redução de investimentos em cursos de humanas pode diminuir potencialidades, diz especialista

O impacto da tecnologia sobre a vida cotidiana foi assunto no CBN Madrugada. José Rubens Salles Toledo, escritor, mestre em filosofia, autor de ‘A tecnologia acima do bem e do mal – a tragédia do homem contemporâneo’ abordou o tema durante entrevista. Para ele, a possível redução de investimentos em cursos de filosofia e sociologia pode diminuir as potencialidades dos alunos e transformá-los em meros instrumentos do mercado de trabalho. Rubens Salles acrescenta que a mudança iria coibir a espontaneidade dos estudantes.

OUÇA A ENTREVISTA>>